Avanço tecnológico facilita acesso a crédito no Brasil enquanto expõe mercado financeiro a aumento de fraudes e crimes digitais

Videocast CBN Tecnologia Segura reúne vice-presidente da Tecnobank e presidente da Acrefi para discussão sobre segurança digital no mercado de crédito nacional

Avanço tecnológico facilita acesso a crédito no Brasil enquanto expõe mercado financeiro a aumento de fraudes e crimes digitais

Para debater os impactos do avanço da tecnologia e da segurança digital no mercado de crédito brasileiro, o jornalista Rodrigo Bocardi recebe, no quarto episódio do videocast CBN Tecnologia Segura, o vice-presidente da Tecnobank, Luís Otávio Matias, e o presidente da Associação Nacional das Instituições de Crédito (Acrefi), Tadeu Silva.

Seja no setor de financiamentos ou em relação a empréstimos digitais, ambos os convidados acreditam que a transformação tecnológica tem democratizado cada vez mais o acesso ao crédito no Brasil, incluindo uma parcela da população que, antes da digitalização, não era considerada pelas instituições financeiras.

Além disso, o modelo de concessão de crédito se tornou mais ágil e assertivo. “Antigamente, esse processo era moroso e burocrático, repleto de documentos e exigências que faziam uma análise ser aprovada apenas de um dia para o outro”, avalia Silva. “Atualmente, com o uso de ferramentas digitais e algoritmos, é possível unificar e avaliar uma grande quantidade de dados, o que torna a concessão de crédito mais eficiente e acurada. Em questão de minutos, é possível ter uma aprovação”, complementa Matias.

Crescimento de fraudes

Por outro lado, o exponencial avanço tecnológico também aumentou significativamente o volume de fraudes financeiras – um dos principais gastos no orçamento dos bancos, que têm investido sucessivamente em segurança cibernética e gerenciamento de riscos no combate a crimes digitais.

Nesse contexto, o presidente da Acrefi menciona a Resolução Conjunta n° 6, publicada pelo Banco Central juntamente ao Conselho Monetário Nacional (CMN), que desde 1° de novembro prevê diretrizes para o compartilhamento de dados e informações sobre indícios de fraudes entre instituições financeiras, a fim de prevenir golpes e aprimorar a rastreabilidade de operações criminosas. “Essa regulamentação vem em bora hora, uma vez que as instituições estavam lutando individualmente contra um inimigo comum. A partir de agora, de forma colaborativa, o mercado financeiro eleva as chances de combater o cibercrime, gerando maior segurança e credibilidade ao cliente final”, afirma.

O vice-presidente da Tecnobank cita ainda a responsabilidade dos bancos em investir em ações de conscientização digital voltadas aos clientes. “A população precisa aprender a identificar possíveis fraudes, e as instituições, por sua vez, precisam desenvolver programas de educação financeira que instruam as pessoas no ambiente virtual”, finaliza.

O videocast CBN Tecnologia Segura, que tem oferecimento da Tecnobank, pode ser acessado em todos os canais da Rádio CBN, como site, aplicativo, YouTube e plataformas agregadoras de conteúdo em áudio e vídeo.