Tecnobank realiza treinamento online sobre LGPD para os colaboradores

A inesperada crise mundial provocada pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, fez com que diversas empresas adiassem os eventos previstos para o ano de 2020, respeitando as recomendações do Ministério da Saúde, a fim de evitar aglomeraçõe

05/05/2020 18:26 - Atualizado às 18:40

 Tecnobank realiza treinamento online sobre LGPD para os colaboradores

A inesperada crise mundial provocada pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, fez com que diversas empresas adiassem os eventos previstos para o ano de 2020, respeitando as recomendações do Ministério da Saúde, a fim de evitar aglomerações e a disseminação do vírus.

Nesse cenário, a Tecnobank readaptou a programação relacionada à conscientização interna sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), vigente a partir de agosto, e disponibilizou, online e em tempo real, o treinamento sobre os desafios e a importância da nova legislação para todos os seus colaboradores.

O advogado especialista em proteção de dados, Renato Leite Monteiro, do escritório Baptista Luz, apresentou um panorama histórico sobre o desenvolvimento da governança na internet, seus impactos em diversos setores da sociedade, dados sobre o cenário regulatório no Brasil, os conceitos e termos-chave vinculados a esse universo e, é claro, as bases legais, as obrigações e a aplicabilidade da Lei nº 13.709/2018, que regulamenta as atividades referentes à coleta, ao tratamento e à utilização de dados pessoais.

“Assim como alguns dos maiores desastres ambientais que já ocorreram no mundo foram causados por vazamento de petróleo, hoje, os maiores desastres cibernéticos e financeiros são causados por vazamento de dados”, afirmou Monteiro. Por isso, é fundamental que as empresas incluam novos mecanismos de controle e de fiscalização voltados à segurança, e que esses mecanismos estejam de acordo com as regras gerais da LGPD, bem como às políticas internas já existentes de Compliance e Segurança da Informação.

 

Ainda nesse contexto, Monteiro destacou informações sobre a confiança que a sociedade deposita em empresas transparentes em relação à utilização dos dados de seus clientes. Segundo pesquisa da PxC US, 85% do público estaria disposto a deixar de consumir um produto ou um serviço caso a marca não apresentasse, com clareza, suas práticas de segurança de dados. Consequentemente, tais empresas sofreriam desvalorização de mercado, o que impactaria diretamente nos resultados do negócio.

Além disso, é importante frisar que a LGPD coloca o Brasil no mapa dos países com leis semelhantes a essa, o que nos torna aptos a receber dados oriundos de regiões que exigem um nível de proteção de dados equivalente. “Com isso, passaremos a receber mais investimentos e teremos mais facilidades para alavancar projetos e negócios, sobretudo no setor de Tecnologia da Informação”, ressalta Monteiro.

Lançado em 2019, o Sistema de Gestão de Segurança da Informação da Tecnobank reafirma o compromisso da empresa com as melhores práticas de infraestrutura tecnológica que envolvem os processos eletrônicos dos segmentos financeiro e de veículos. Com base em políticas e diretrizes baseadas nos mais rígidos padrões nacionais e internacionais do mercado, além de um comitê de ética exclusivo e com atuação direta, a tratativa dos dados utilizados pela TBK passa por sete pilares: Confidencialidade, Integridade, Disponibilidade, Autenticidade, Irretratabilidade, Privacidade e Legalidade.

Para nós, a Lei Geral de Proteção de Dados não é apenas uma nova obrigação legal: é a nova forma de fazer negócios e lidar com os dados pessoais em um mundo cada vez mais conectado e dinâmico.